Feeds:
Posts
Comentários

Estarei nas ruas

candelaria

Ninguém me perguntou, mesmo assim deixo aqui minha opinião.

Não sobre partidos políticos, muito menos sobre minha visão política. A esta altura, o que menos interessa é se pertenço a esquerda ou a direita. Minha voz clama por justiça!

Não votei na atual Presidente e tenho nojo dos governantes corruptos do país, independente de partido (estão espalhados por todo lugar), eles me envergonham e de forma alguma me representam. Ainda assim, sou totalmente contrário a qualquer ideia de derrubada, golpe ou boicote. Não acredito que isto traga benefício algum para o país ou para o povo.

Tenho ido para a rua e continuarei nesta marcha pacífica aliado ao povo, suplicando por justiça, reforma política e fim da corrupção no país: sonho com um Brasil melhor para os meus filhos e netos.

Já são mais de 10 dias de manifestações, unindo milhões de pessoas pelo mundo que gritam: “O povo, unido… é gente pra caralho”, de fato é! O governo sentiu a pressão vinda das ruas.

Estamos vivendo um momento especial. O povo entendeu o poder que tem, entendeu que tem voz e que pode se levantar contra um Estado corrompido. Não podemos ficar apáticos às injustiças cometidas pelos “eleitos”. Resgatamos nosso patriotismo.

Porém, vivemos também um momento extremamente delicado. Precisamos continuar nas ruas não apenas gritando por justiça, mas também rechaçando qualquer tipo de vandalismo, do contrário, corremos o risco de perdermos o foco nesta caminhada.

A Presidente falou nesta semana e, de longe, não foi o que gostaríamos de ouvir. Sra. Presidente, o povo quer muito mais do que isso… Chega de blá, blá, blá político. É hora de mudarmos o Brasil. Se quiser saber como, ouça a voz que vem das ruas. Saiba interpretar o que está acontecendo no país.

Precisamos nos organizar com uma liderança que de fato represente o povo. Precisamos de uma pauta para discussão com a presidente que, por mais que eu não concorde com a forma, se comprometeu em ouvir os líderes dos movimentos. Este é o momento de apresentarmos nossas reivindicações ao Estado.

Ainda que eu não admire ou concorde com a presidente, acho realmente que, neste momento, ela é nossa melhor chance de mudança para o país. Vamos cobrá-la das promessas que fez no discurso e continuar nas ruas até que as mudanças aconteçam. O governo deve prestar contas ao povo. O congresso nos deve satisfação, já não conhecem mais o conceito de democracia, esqueceram que foram eleitos pelo povo para representarem os interesses do povo.

Não podemos admitir que a democracia seja sacrificada diante dos nossos olhos.

Espero realmente que este movimento cresça pelo país e que as pessoas continuem indo para as ruas. Estarei lá.

Por um Brasil melhor, por um país justo e democrático.

Anúncios

Sinto saudades

Já senti saudades de lugares que deixei, lugares que marcaram minha vida de alguma forma, lugares que levarei para sempre na memória e no coração. Minha casa de Atibaia é um deles, foi o lugar onde passei grande parte da minha infância, o lugar onde aprendi a andar de bicicleta, minha casa da lareira. Jamais esquecerei das noites acordado chorando por ter deixado Minha Casa e estar morando em São Paulo.

Sinto muitas saudades de pessoas queridas, pessoas que chegaram e partiram, fizeram toda diferença na minha vida deixando marcas eternas, dividindo alegrias e tristezas, pessoas que realmente foram relevantes pra mim. Foram e deixaram saudades. Minha avó Laís estará sempre no meu coração, ela realmente faz muita falta, gostaria muito que ela conhecesse meus filhos… seus netos.

Lembro de muitas fases da minha vida com saudades. Adorava cabular as aulas de química durante o colegial para jogar futebol de salão. Lembro com saudades de pular o muro da escola com meu irmão e fugir para o Seven Eleven. Sinto muita saudade da época de Esporte no Menc, do futebol Equipe X Acampantes, do domingo de chegada. Das viagens para Mineiros…

Algumas situações ficarão guardadas para sempre na minha memória e sempre sentirei saudades com alegria. Nunca me esquecerei das inúmeras vezes que fui andar de bicicleta no lago da estância nos dias de chuva, impossível não sentir saudades da primeira viagem ao Rio de Janeiro com minha mãe ou da primeira viagem a NYC com meu irmão. Churrasco no sítio com os amigos, snowboard na montanha. A primeira vez que peguei estrada dirigindo o meu carro, ainda lembro da trilha sonora…

Porém, recentemente fui apresentado a um tipo de saudade que ainda não conhecia. Resultado da distância dela, a saudade sem fim do meu amor…

Ela – a saudade – se mostrou de outra forma, mais forte do que jamais imaginei. No começo ainda acanhada, saudade gostosa, sensação boa de sentir falta de alguém que se ama, sabendo que vai retornar pra ela. Minha ingenuidade me fez acreditar que ela se manteria desta forma…

O Rubem Alves disse que “A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar”.

Entendi, faz todo sentido. Minha alma sabe o seu lugar e por isso sabe para onde quer voltar, ela espera ansiosamente para retornar, meu coração aguarda angustiado para reencontrar o seu amor. A sensação é de que minha vida fez uma pausa, de que tudo o que faz sentido está lá longe, me esperando para retomarmos juntos.

A saudade passou a fazer parte do meu dia a dia, se tornou minha companheira diária diante da solidão, não importa onde eu esteja, não importa o que esteja fazendo, não importa o horário, ela estará lá, sempre ao meu lado, me lembrando por quem meu coração anseia.

Sinto muita falta do olhar do meu amor, da forma linda como me olha. Vontade absurda de simplesmente conversar com ela no final do dia, de ouvir sua voz, de levá-la para jantar. De abraçá-la e contar como foi meu dia e ouvi-la contar empolgada sobre sobre o seu.

Poucas coisas doem tanto quanto ouvir o seu choro a distância, sem poder fazer nada, sem poder abraçá-la e dizer o quanto eu a amo.

Saudades de andar de mãos dadas reparando na calçada da av. Paulista, correr e andar na praia. Saudades da forma como ajeita o cabelo, saudades daquele sorriso pelo qual me apaixonei…

Tenho experimentado a saudade de algo que se tornou essencial na minha vida. Sinto muita falta dela…

…por isso estou voltando pra ela.

transport routierSabe aquele lugar onde geralmente suas decisões são tomadas, aquele lugar onde os anseios e desejos do seu coração voltam a se alinhar? Onde de repente, os problemas e dificuldades da vida são drasticamente enfraquecidos pela perspectiva de uma nova realidade.

É assim no asfalto, desconectado do resto do mundo, dos horários e reuniões, dos intermináveis compromissos. Plugado através de um fio branco, com a mente ocupada apenas em calcular batidas cardíacas e kilômetros por minuto.

Percorrendo aqueles kilômetros setados pelo meu treino, buscando alcançar uma imaginável linha de chegada que põe fim à maior distância alcançada, no menor tempo possível.

Em alguns momentos usufruindo a sensação de bem estar proporcionada pela endorfina liberada no meu corpo, em outros muitos, diante da dor, administrando a batalha travada entre a terrível tentação de interromper a corrida versus a incansável persistência de concluir o percurso, de melhorar uma marca.

Percebeu que já estamos em março? O carnaval já acabou. Ainda posso sentir o sabor do delicioso jantar de ano novo…

A pós-modernidade nos propõe uma vida absurdamente corrida, onde as 24 horas do dia ficaram curtas diante da quantidade de atividades que estamos nos propondo a fazer. A sensação é que a vida ficou mais curta.

É o trabalho que consome a maior parte do seu tempo, sua família precisa de você, seu currículo não pode ficar desatualizado sem aquele MBA durante as noites da semana, a ONG que você ajuda se reúne toda quarta-feira, o indispensável futebol com os amigos, o curso de inglês, o curso de francês.

E qual dia e horário tem reservado para você? Não para mais um compromisso em sua agenda, mas sim para ouvir seu coração, alinhar seus sonhos e frustrações, tratar suas feridas.

Seja correndo no asfalto, deitado no silêncio do seu quarto, fotografando os movimentos da cidade, tocando o solitário violão ou simplesmente dirigindo seu carro naquela pequena estrada escura à caminho do final de semana. Você precisa deste tempo a sós com você, precisa ouvir seu coração. Lembre-se que um dia talvez não dê mais tempo.

Realmente precisamos destes momentos. Momentos que deixamos nosso suor, nossos anseios e preocupações. Momentos que possamos nos desconectar do mundo ao nosso redor, onde conseguiremos ouvir nosso próprio coração, que tantas vezes tenta nos dizer algo enquanto estamos entretidos com todas as inadiáveis atividades da agenda.

É lá, que sob a ótica da transpiração tenho enxergado meus verdadeiros sonhos, tenho aliviado minhas angústias, analisado meus próprios erros, valorizado os meus acertos, ajustado minhas rotas.

Tenho escutado meu coração no asfalto.

Simples assim

imgp0315

Sinto falta deste olhar que um dia também foi meu, admirando a simplicidade do que está ao meu alcance. Sinto falta de contentar-me com as coisas simples da vida, e encontrar sentido nelas. Não precisar do extraordinário para satisfazer-me.

Em qual direção está o seu olhar? Passar a vida sempre olhando para o topo, buscando as maiores conquistas? Lembre-se que estas às vezes são inatingíveis.

É a busca incessante pelo melhor emprego, aquele que será invejado por todos à sua volta.  O salário mais alto que puder conseguir, pois então terá condições de manter o padrão de vida que tanto sonhou.

Mas e o simples sorriso do seu filho te recebendo em casa? E o jantar em casa com a família reunida ao redor da mesa, ansiosos pela sobremesa. Ou o passeio de mãos dadas com sua amada numa tarde de domingo?

Você estipulou suas metas e objetivos de vida para serem atingidos, definiu parâmetros, submeteu-se aos padrões que a sociedade te impõe. E a partir daí, sua alegria, sua paz e aquela sensação de contentamento estará diretamente relacionado à estas conquistas. Sem elas, não há felicidade.

Mas e quantas vezes têm se esquecido de olhar para o lado e valorizar aquilo que já conquistou, valorizar aqueles que te conquistaram. Esquecendo de amar as coisas simples da vida, e deixando de encontrar sentido nelas.

Alguns de nós encontram felicidade nas pedrinhas do caminho, não precisam chegar ao imponente monumento. Estes são conhecidos por: Felizes

Certa vez ouvi o Ed René dizer que: “A felicidade é muito mais um jeito como se vai, do que um lugar onde se chega”. Faz todo sentido, se não fosse assim como poderia haver tão bela alegria no samba tocado no pé da favela do nosso país.

Desta forma não importa mais se um dia chegará a ter aquela casa na encosta de Ilha Bela, com a magnífica vista para o mar. Mas sim, o quanto está satisfeito com o que possui hoje.

Nem todos precisam do monumento para admirar, nem todos buscam apenas o extraordinário na vida, alguns realmente conseguem satisfazer-se com o ordinário, e encontrar sentido nisto, encontrar alegria na simplicidade das coisas.

O que estou dizendo é: Prefira as coisas simples da vida, elas são cheias de graça e alegria. Fuja dos extremos, não queira sempre alcançar o ponto mais alto na vida. Alegre-se pelo que encontra no caminho, tenha seus olhos no objetivo a ser alcançado, mas não deixe de perceber as pessoas e experiências do caminho.

Do alto de seu 1 ano e meio, meu priminho, diante da bela “Floralis Genérica”, encontrou sentido nas pedrinhas do caminho. Elas eram o suficiente para ele, que não precisava de mais nada.

Pobre da imponente flor, que nem por um minuto conseguiu chamar a atenção do sábio “moleque safado”. Simples assim.

PassarelliDaniel

Urban DoomJá percebeu quantos dias na semana você repete esta frase: “Vou chegar mais tarde hoje”.

É a resposta comum e automática para a pergunta que teima em te resgatar do seu ambiente corporativo e trazer de volta à sua vida real: “Quando você chega em casa”?

É a pergunta que interrompe seu alucinante ritmo de trabalho, após às 20hs ainda no escritório, como que um convite para aquilo que realmente tem valor na sua vida, como que um alerta “chega por hoje”, volta para aquilo que realmente vale a pena investir.

Sempre em resposta à pergunta de alguém que você ama mais do que qualquer outra coisa na vida. Alguém que está te esperando para se relacionar, alguém que está te esperando para dividir os momentos da vida.

É a sua namorada te esperando para um cinema e jantar, querendo alimentar os planos de um futuro juntos, querendo chorar contigo por ter batido o carro no meio da tarde, sorrir contigo por ter encontrado o livro que vocês tanto queriam.

A ligação é do seu filho morrendo de saudades do pai, ansioso para mostrar o desenho que fez na escola e te contar que foi elogiado pela professora. Cansado de, sozinho, chutar a bola de futebol na parede de casa, cansado de jogar PS3 contra a máquina.

A tentativa da sua Mãe de conversar contigo há meses, pedindo alguns minutos na sua concorrida agenda para te contar sobre os problemas de saúde que ela têm enfrentado. Ela não consegue te encontrar mais sequer para dizer o quanto ela te ama, ela não consegue mais saber como está sua vida.

O seu pai que não te vê há tanto tempo e espera ansiosamente por uma ligação sua convidando-o simplesmente para comer uma pizza e conversar sobre futebol, para avaliar o desempenho do time de futebol que ele te ensinou a torcer, dar risada juntos do quanto vocês envelheceram.

Até mesmo seus amigos. Será que eles vão estar sempre lá te esperando, será que estarão sempre disponíveis para mudanças nos planos em virtude da sua agenda de trabalho. Eles continuam lá, tomando aquele café após o jantar entre amigos, esperando você chegar atrasado por causa da sua reunião após o expediente.

As horas do dia passam rápido demais, você precisa estar sempre envolvido nas atividades corporativas que prendem sua mente e coração, impedindo que pense e envolva-se com os momentos mais importantes na vida da sua família. O dia termina, a noite começa e você ainda está aí, na frente do seu laptop, controlando cronogramas, orçamentos, goals a serem atingidos.

Os projetos não param nunca, os prazos você já decorou, o orçamento está todo na sua cabeça, sua equipe de trabalho tem acesso irrestrito à você a qualquer hora do dia e da noite.

Mas e o resto? Sua vida se resume à ambiente corporativo?
Será que está investindo tanto na sua vida pessoal como têm investido na carreira profissional?

Seu filho perdeu a final do campeonato de futebol no último sábado, aquele que você não pôde ir, pois estava fazendo o planejamento estratégico da sua empresa para o próximo ano. Ele chorou por perder o campeonato, e você, você conseguiu aproximar o relacionamento com seu CEO.

A vida passa rápido demais.
Precisamos investir tempo naquilo que realmente tem valor.

Agora preciso ir pra casa, pois já são 20:15 e hoje combinei de jantar com meu irmão.

 

PassarelliDaniel

Yes, We Can

obamaUma nação destinada a ser a matriz na nova ordem globalizada, com uma moeda referencial no mercado financeiro e prioridade absoluta na estratégia da ONU.

Uma nação reconhecida pelo mundo inteiro como potência militar, torna-se sua principal vítima testemunhando a morte de 4.000 de seus filhos americanos na guerra do Iraque, guerra esta que não é deles, mas sim fruto de um governo arrogante que tomou para si a responsabilidade de punir e corrigir as demais nações, incorporando a missão de acabar com a tirania do mundo. Custando para os cofres americanos 12 bilhões de dólares mensais.

Um país reconhecido como líder na economia mundial, ditando regras e tendências para o resto do mundo, hoje sofre uma recessão causada pela crise econômica interna, gerando desempregos, queda de rendimento dos americanos e mercado imobiliário restritivo. Tudo isso trazendo à memória do povo americano a Grande Depressão vivida nos anos 30.

O mundo passou a conhecer o imperialismo americano, regido pelo governo Bush.

De repente, um povo que há menos de 60 anos vivia sob uma segregação racial, onde até os bebedores estavam separados para negros e brancos, decreta o fim da era Bush e elege o primeiro presidente negro na história dos Estados Unidos. Vitória esta que dá sentido à luta de Martin Luther King contra o racismo, principalmente sabendo que Obama foi eleito também com total apoio do eleitorado branco.

O país multiracial, o país das possibilidades, das oportunidades, onde os sonhos se tornam realidade e que não esquecerá jamais das milhares de mortes do 11 de Setembro, não esqueçerá jamais dos seus filhos mortos na guerra, decide hoje entregar seu país na mão de um homem chamado Obama, decide que quer mudar, decide que deseja voltar a ser uma nação, e grita alto, para que o mundo ouça: Sim, nós podemos!

O povo americano está entregando nas mãos de Barack Obama, não apenas a responsabilidade e o poder de corrigir os erros do governo anterior, missão esta que apenas Franklin Roosevelt foi capaz de exercer, vencendo a recessão de 30 e passando por uma Guerra Mundial. Entrega não apenas a missão de defender a Constituição e os interesses dos Estados Unidos.

O americano entrega nas mãos de Obama também os sonhos e ideais de um povo renovado pelas lições aprendidas no passado, que traz consigo as cicatrizes, esperando deste governo O Renovar de uma nação. A América espera que “O Presidente de Todos”, devolva ao país os filhos enviados ao Oriente Médio, devolva a estabilidade financeira, a postura perante o mundo, a segurança nacional, o orgulho de carregar a bandeira americana.

No dia da posse Barack Obama disse: “Se existe alguém que ainda duvide que a América seja o lugar onde todas as coisas são possíveis ou que ainda questione a força de nossa democracia, a resposta está aqui esta noite”.

Fico realmente feliz com a vitória de Barack Obama. Sinto-me esperançoso em relação ao destino dos Estados Unidos, que mostrou saber votar, que mostrou ter aprendido com os erros do passado.

Obama carrega o sonho de cada americano. Obama carrega a esperança de uma nova nação. Carrega o choro e a alegria de um povo que escolheu dar início a um novo tempo. Obama carrega minha admiração.

Que a voz deste presidente ecoe pelo mundo levando a mensagem de “Yes We Can“.

PassarelliDaniel

bowman-david_cultivator11

Estamos esquecendo o significado da palavra “Paixão”!!

Até onde estaríamos dispostos a ir por um verdadeiro ideal?
O quanto estamos dispostos a sacrificar pelos sonhos dos nossos filhos?

O Brasil possui 183,9 milhões de habitantes. 58 milhões são considerados pobres e indigentes.
20% da população mais pobre do Brasil ganha R$ 140,00 por mês, ou seja, estes 20% da população brasileira pobre, sobrevive com R$ 1.680,00 por ANO.

Por outro lado, a população mais rica do Brasil, que se resume a 1% do total, ganha em média R$ 13 mil reais por MÊS. E 20%, considerado ainda como classe A, ganha em média R$ 3.300,00 por mês.

Será que existe alguma relação entre a criminalidade e o abismo da desigualdade social?

Outro dia estava parado no farol da Avenida Bandeirantes. Do lado de fora do carro dividiam minha atenção, duas crianças brincando descalças sob um viaduto – que muito provavelmente chamavam de lar – enquanto a mãe trabalhava no farol, carregando outra criança no colo. E como pano de fundo uma imponente loja de iates importados, inatingível diante do cenário. 

Mas e daí? O que temos feito diante disto? Continuamos esperando uma ação do governo.
A cena me impactou no momento, mas fui embora, dentro do meu carro, de volta à minha confortável vida. Qual tem sido minha parcela de contribuição para que alguma coisa comece à mudar?

Gastamos nossos dias correndo atrás de dinheiro, status, poder e reconhecimento. Legal, muito bom, também gosto, faz parte. Mas e o resto das pessoas que não tiveram a mesma sorte que você e eu? Quem fará alguma coisa por elas? O governo? Duvido!!

Estas pessoas não sabem o que é viver uma vida digna, elas simplesmente sobrevivem. Cada dia uma batalha, por comida, abrigo da chuva, cobertor pro frio, pela sobrevivência dos filhos.

Precisamos de iniciativas privadas, de homens e mulheres que tenham um ideal, e que decidam fazer algo realmente notável, que se preocupem em deixar um legado para a sociedade, que tenham “Paixão” por uma causa.
É a Paixão que nos move em direção ao que realmente devemos fazer.
Precisamos colocar Paixão em tudo que fazemos, é isto que fará diferença, é isto que nos diferencia da mediocridade.
  

PassarelliDaniel